Escrivaninha 32

Penso, logo escrevo

Fragmentos

Publicado por JC sob em 16:27

I

Às vezes tenho a impressão
Que só meu cão me entende
Mesmo com seu silêncio eloqüente
Me diz mais que muita gente
Com seus verbos escarrados
E dialética prepotente

II

Viver é aceitar o inevitável
E não evitar o evitável
É fazer o caminho errado
E ver as coisas como elas não são
Verdades simples há e não
Só depende da profusão

III

Meus olhos de vidro
Não vêem mais a diferença
Entre o certo e o errado
Entre o admirável e o banal
Talvez esteja quebrado
Ou talvez diferença não haja

IV

Não escrevo para arrancar suspiros
Sim, faço poemas sem sentido
Às vezes morro, às vezes vivo
É tudo uma questão de libido

V

Não quero mudar o mundo
Nem parecer um velho taciturno
Esperando que o sol nasça outra vez
Reclamando de todos e de tudo

Mas sinto o céu tão triste e pálido
Talvez seja só o meu humor

VI

Primeiro a gente ama
Depois escreve
Depois contempla
Depois amassa
E depois joga fora

Quando o lixo já não é mais lixo
E já foi então reciclado
Ficamos desesperados
Procurando inutilmente
Aquele papel amassado

VII

Pulei alto demais
E do penhasco errado

Está tudo acabado

Depois de tanto tempo
Depois de tanta prosa

VIII

Entendam como quiser
Embora seja mais fácil
Bem mais fácil não entender

Eloqüente: facundo, diserto, expressivo, convincente;
Dialética: lógica
Profusão: abundância, exuberância;
Libido: energia psíquica originada por necessidades biológicas primitivas, as pulsões da vida (para Freud); qualquer forma de energia psíquica (para Jung).
Taciturno: calado, mudo, silencioso, tristonho;
Prosa: bate-papo, conversa, diálogo.


15 comentários:

Murillo Oliveira disse... @ 14 de novembro de 2008 16:32

tenho a mesma sensação com meu cão. Ele deve me entender um pouco mais...

┼ Ģℓэн єяเkล! ┼ disse... @ 14 de novembro de 2008 17:00

Que poesia linda cara!
Me identifiquei bastantre com ela. Olha também sinto que minha cadela, também meus gatos me compreendem bem mais que os outros!

MissCrazyLove disse... @ 14 de novembro de 2008 17:34

cara, que lindo!
fiquei emocionada qui!!
sem palavras!!!

Lauro disse... @ 14 de novembro de 2008 18:04

CAra, que massa!
Que dom o seu!
Parabéns!

Acesse:
www.adcampos.com

Willian Araújo disse... @ 14 de novembro de 2008 20:20

Já pensou em musicá-las?
acho q ficaria interessante. Gostei do layout do seu blog.
abraços

Willian Araújo
www.opiniaoposta.blogspot.com

Hugo Ceregato disse... @ 14 de novembro de 2008 21:03

Já gostei pelo título, e dentre todos o que maisme encantou foi o II. ^^


www.fragmentosdelivro.blogspot.com

nerdsedentario disse... @ 14 de novembro de 2008 21:38

Caramba, que dom com as palavras.
Um dos melhores poemas que eu vi em blog. Parabéns.

calango azedo disse... @ 14 de novembro de 2008 21:49

tu eh emo??????

João de Carvalho disse... @ 14 de novembro de 2008 21:57

Emo. Se ou não ser, eis a questão.

Depende da definição que você atribui a uma pessoa rotulada como EMO a partir de sua ótica.

calango azedo disse... @ 14 de novembro de 2008 22:03

odeio blogs gays

By melrym disse... @ 14 de novembro de 2008 23:11

mto lindo...
tbm me acho que me cao interior (cadela kkkk) me entende melhor, as vezes melhor q eu..his

bjao

http://melrym.blogspot.com/

MissCrazyLove disse... @ 15 de novembro de 2008 10:50

Vou botar o teu blo nos meu favoritos, muito booom! bombom!
=)

Inquilino do Sublime disse... @ 15 de novembro de 2008 11:40

exatamente...queremos o q? uma bmw ou justica ?

CIA disse... @ 15 de novembro de 2008 12:11

uhum....Muit Bom adorei!!!

Passa lah:

http://blog-do-vandeco.blogspot.com/

Pedro A. disse... @ 15 de novembro de 2008 23:35

Lindo texto!!

Postar um comentário

 

Contador de posts e comentários

Este blog contém posts e comentários. Obrigado pela visita!

Seguidores